Como preparar uma pregação ou sermão bíblicos?

Como preparar uma pregação ou sermão bíblicos?

Os esboços de pregação não têm uma forma rígida. Podem variar muito, mas aqui vão algumas dicas que podem servir como base para sua elaboração. A estrutura do esboço é a mesma da pregação.

O esboço será então um roteiro para o pregador não se perder durante a pregação, ou mesmo para não se esquecer dos pontos mais importantes da mensagem. Em outras palavras, é um mapa com alguns pontos de referência.

Passo 1 –  O pregador não nasce pronto

Essa dica não tem muito a ver com a parte mais técnica propriamente dita, mas gosto sempre de frisar. Apesar do dom de Deus ser perfeito, nós não somos. Um bom pregador não nasce pronto. Por isso, é muito importante que haja a dedicação ao estudo e às boas práticas espirituais de comunhão com Deus para que o pregador cresça em sabedoria no trabalho da obra do Senhor. Quando observamos as narrativas a respeito de Jesus, vemos que Ele se empenhou (mesmo sendo Deus) para crescer enquanto humano: “E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens” (Lucas 2:52). Assim, nós pregadores não podemos negligenciar o lado espiritual e nem o lado humano do aprendizado, do estudo, da leitura, para que sejamos mais usados por Deus.

Passo 2 – Comece orando

Parece até muito básico dizer isso, mas muitos pregadores, por estarem muito ansiosos pela preparação da mensagem, esquecem de algo muito importante: gaste um bom tempo buscando a mensagem que Deus quer dar a igreja através de você em oração. Isso é muito importante. Observamos muito claramente na vida de Jesus que, sempre que Ele tinha algo muito importante para fazer, Ele se retirava e orava, buscando em Deus a direção. 50% do sermão é construído em oração perante Deus, ouvindo a voz do Pai e também falando com Ele.

Passo 3 –  Escolha do texto bíblico

Uma pregação sempre começa em Deus, como vimos no passo 2. Depois ela necessariamente precisa ir para a Palavra de Deus. Pois é na Palavra que está a autoridade, não em nós. Agora é o momento de ouvir a voz de Deus e buscar o texto que Ele deseja que você pregue. Nem sempre isso é tão simples, mas ore e peça a Deus para te dar a direção na escolha do texto bíblico que você deve pregar. Não se desespere se demorar um pouco. Se Deus te chamou para pregar Ele também vai te capacitar, não é verdade?

Passo 4 – Entenda o texto bíblico
Desde quando eu comecei a pregar ouvia uma frase que é muito verdadeira: “Deus sempre fala ao pregador primeiro”. Isso significa que o pregador precisa buscar agora compreender o texto bíblico escolhido. Para começar, é preciso entender todas as palavras que estão no texto. Vamos a um exemplo prático? Eu escolhi fazer um sermão deste texto: “Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne” (Gálatas 5:16). Você deve se perguntar o seguinte: eu conheço o significado de todas as palavras desse texto? Nesse exemplo, digamos que eu não saiba muito bem o significado da palavra concupiscência. É hora então de usar um dicionário para ampliar meu conhecimento: Concupiscência: “Forte e continuado desejo de fazer ou de ter o que Deus não quer que façamos ou tenhamos”. Uma outra forma de ampliar o entendimento de um versículo é buscar lê-lo em diversas traduções. Vou mostrar esse mesmo texto de Gálatas 5:16, mas agora na Nova Tradução na Linguagem de Hoje: “Quero dizer a vocês o seguinte: deixem que o Espírito de Deus dirija a vida de vocês e não obedeçam aos desejos da natureza humana”. E agora, entendeu bem o texto? Creio que ficou bem mais claro, não é?

Matérias para auxilia no seu Ministério.

– Teologia sem mensalidades (Comece aqui!!!)

-Kit Curso Pregador Completo! (Comece aqui!!!)

– Memorização Fácil da Bíblia (Comece aqui!!!)

– Formação de Professores Para o Ministério Infantil (Comece aqui!!!)

-Curso Teclado para Igrejas ( Comece aqui!!!)

– Outros Materiais  Cristão para sua Preparação. (Comece aqui!!!)

Passo 5 – Aumentando o conhecimento sobre o texto bíblico

Saber apenas o significado das palavras não é o suficiente para que você tenha um bom conhecimento do texto a ser pregado. Agora é hora de ler o que chamamos de contexto, ou seja, o que vem antes e o que vem depois do texto escolhido para a pregação. Isso é importante para você reunir informações importantes, como: para quem o autor está escrevendo? Qual foi o objetivo dele em escrever isso? Qual a mensagem principal que o autor quis passar aos seus leitores? Vamos novamente à prática?

Para quem Paulo Escreveu e qual foi o objetivo dele?
Paulo escreveu aos Gálatas. O objetivo dele, segundo vemos no texto e contexto, era ensinar a importância de andar no Espírito (Gálatas 5:16) e mostrar aos servos de Deus que eles estão em uma grande batalha espiritual (Gálatas 5: 17). Para vencer essa batalha o crente precisará ser guiado pelo Espirito Santo (Gálatas 5:18). Paulo faz uma advertência de que se nós não andarmos no Espírito Santo e nos entregarmos as paixões da carne, não herdaremos o reino de Deus (Gálatas 5:21). Mas se andarmos no Espírito e praticarmos os frutos do Espírito seremos vitoriosos na guerra contra o pecado (Gálatas 5:22-26). Conseguiu perceber como é importante ampliar o conhecimento do texto para você ter mais argumentos na preparação da sua pregação? Anote tudo que você ver no texto, extraia o máximo de informações possíveis. Mais tarde, com essas informações, vamos estruturar a pregação de uma forma que as pessoas entendam bem.

Passo 6 – Estruturando sua pregação

Agora que você já tem um conhecimento amplo sobre o texto que vai pregar, gostaria de dar algumas dicas para você estruturar todas essas ideias de uma forma que as pessoas possam compreender. Não adiante saber o texto e não saber comunicá-lo de uma forma que as pessoas entendam. Vamos à pratica? Uma pregação pode ser estruturada de diversas formas, mas gosto muito do modelo abaixo, pois é simples e muito prático:

  1. a) Leitura do texto bíblico para a igreja
  2. b) Introdução
  3. c) Explicação do texto bíblico de forma mais geral
  4. d) Mostrar o tema do estudo para a igreja
  5. e) Argumentação (Aqui entram as separações em pontos: ponto 1, ponto 2, ponto 3, ponto 4, etc)
  6. f) Conclusão

Vamos agora analisar cada um dos tópicos de maneira simples e objetiva e montar a nossa pregação na prática:

a) Leitura do texto bíblico para a igreja

Essa parte é bem simples. Nós já escolhemos Gálatas 5:16. É o texto que vamos ler para a igreja.

b) Introdução

Aqui você vai escolher algo que introduza o assunto sobre o qual você vai falar. Por exemplo, veja a minha introdução: “irmãos, sabemos que o crente vive uma constante luta contra a carne. Isso acontece porque a nossa carne e o nosso espírito são opostos entre si, conforme nos ensina Gálatas 5:17. Mas qual é a solução para isso? Será que não temos como vencer a nossa carne? Será que o pecado sempre irá nos vencer? Ou será que existe algo que possamos fazer com a ajuda de Deus para vencermos?”

c) Explicação do texto bíblico de forma mais geral

Aqui você vai explicar o texto bíblico lido, destacando os principais tópicos, conforme vimos na dica 5. Vejamos minha explicação de forma resumida: “Quando Paulo escreveu esse texto aos gálatas, ele tinha em mente a necessidade de ensinar aos irmãos que eles viviam uma guerra espiritual. E que era uma guerra muito difícil conforme nos ensina Gálatas 5: 17. Paulo queria advertir esses nossos irmãos gálatas de que não deveriam ser vencidos pela carne, mas que deveriam, apoiados no Espirito Santo de Deus, cultivar os frutos do Espírito e andar em uma vida santa…”

d) Mostrar o tema do estudo para a igreja

Aqui é hora de fazer uma transição entre a explicação e o tema que você deseja tratar. Pode ser mais ou menos assim, veja minha transição e exposição do tema: “E por toda essa luta, irmãos, que temos dia a dia contra as obras da carne, muitos irmãos têm desistido e se entregado ao pecado. Mas será que existe algo que possamos fazer para permanecermos firmes no Espírito? Hoje gostaria de refletir com os irmãos, sobre o seguinte tema: Como vencermos a carne andando no Espírito?e) Argumentação (Aqui entram as separações em pontos: ponto 1, ponto 2, ponto 3, ponto 4, etc)

Agora você pode separar seus argumentos referentes ao tema em pontos para facilitar a comunicação e a memorização da mensagem pelo seu público:

Ponto 1 – Deixe que o Espírito Santo dirija a sua vida (agora você deve argumentar, ensinar a igreja como é que o Espírito Santo dirige a vida de um crente. Você também pode usar outros textos bíblicos para embasar seu argumento. Lembre-se também de ler novamente o texto que você escolheu e destaque o ponto que você está abordando)

Ponto 2 – Sejam desobedientes aos desejos da carne (Você pode abordar que o crente deve guerrear contra seus desejos ruins, como um guerreiro que luta em uma guerra, com força, seguindo a Palavra de Deus de todo o coração, desobedecendo o pecado e obedecendo a Deus, etc.)

Você pode abordar quantos pontos desejar, mas tente não ser muito longo nos pontos. Lições mais objetivas tendem a ser mais absorvidas pelo público do que longas pregações.

 Conclusão

Aqui você vai concluir o sermão. Eu, pessoalmente, gosto de concluir chamando as pessoas para um compromisso com Deus, para buscarem uma mudança de vida. Você pode desafiar a igreja e também terminar com uma oração de gratidão a Deus e clamando pela ação Dele na vida de cada um.

Passo 7 (bônus) –  Quer aprender mais?

Como você pode perceber, preparar um sermão ou pregação é algo que exige do pregador muita dedicação e amor pela obra. Isso que eu ensinei hoje é apenas 1% daquilo que o pregador pode aprender e aplicar para ser um pregador mais abençoado. O pregador poderá aprender como usar a voz, como se portar em cima do púlpito, como vencer a timidez, como não ficar lendo a mensagem, etc. Evidentemente, não tenho como passar todas as técnicas aqui em um único estudo, é por isso que quero te convidar a conhecer um material completo para pregadores que tem transformado a vida de muitos irmãos em Cristo. Se você quer realmente avançar e preparar sermões e pregações cada vez melhores, você precisa conhecer este material:

Fonte:

https://www.esbocandoideias.com/

COMO ESTUDAR A BÍBLIA?

COMO ESTUDAR A BÍBLIA?

Através do estudo da Bíblia chegamos a conhecer a verdade que nos liberta (João 8:32). Entretanto, muitas pessoas que acreditam que o estudo da Bíblia é importante nunca aprenderam como estudar efetivamente e entender a mensagem da revelação de Deus. Consideremos algumas sugestões práticas de coisas que nos ajudarão a ser melhores estudantes da Bíblia.

Atitudes e Preparações Necessárias

Antes que possamos estudar efetivamente a Bíblia, precisamos considerar sua fonte e abordar o estudo com profundo respeito pelo Deus que nos criou e nos revelou sua vontade nas Escrituras. É importante estudar com absoluto respeito pela palavra de Deus.

Samuel aceitou a instrução de Eli e recebeu as palavras de Deus com uma atitude de humildade: “Fala, Senhor, porque o teu servo ouve” (1 Samuel 3:9-10). Cada vez que abrirmos as páginas das Escrituras, deveremos demonstrar exatamente esta atitude. O estudante humilde tem que ter também um coração aberto.

Pedro nos diz que precisamos esvaziarmos-nos do mal para que possamos aceitar o puro evangelho com o ardente desejo dos recém-nascidos querendo leite (1 Pedro 2:1-3). Com humildade e corações abertos, procuramos cumprir o compromisso de cada servo fiel de Cristo: obedecer tudo o que Jesus nos ordenou (Mateus 28:19-20).

O estudo proveitoso também depende de uma valorização correta do texto que estamos estudando. A Bíblia contém a completa, suficiente e final revelação da vontade de Deus para o homem, por isso deverá ser estudada cuidadosa e respeitosamente. O estudante fiel da palavra deverá estar familiarizado com as afirmações de textos tais como 2 Timóteo 3:16-17; 2 Pedro 1:3; Judas 3; Hebreus 1:1-4; 2:1-3 e Gálatas 1:6-9.

Devemos estudar também com respeito pelo silêncio das Escrituras. Muitos erros podem ser evitados se temos o cuidado de não falar presunçosamente quando Deus não falou. Agir quando Deus não disse nada é mudar sua palavra (veja a ilustração em Hebreus 7:12-14, onde o escritor mostra que Jesus não foi um sacerdote de acordo com a lei do Velho Testamento, mas que ele mudou a lei ao tornar-se um sacerdote de uma tribo que não estava autorizada a servir desta maneira). Jesus tinha o direito de mudar a lei, mas nós não. Tais passagens como 2 João 9; 1 Coríntios 4:6 e Apocalipse 22:18-19 nos lembram do perigo de ir além ou acrescentar à palavra revelada.

Uma outra prática importante, quando entramos no estudo das escrituras, é a oração. Devemos orar como o salmista o fez: “Desvenda os meus olhos, para que eu contemple as maravilhas da tua lei”(Salmo 119:18).

Matérias para auxilia no seu Ministério.

– Teologia sem mensalidades (Comece aqui!!!)

-Kit Curso Pregador Completo! (Comece aqui!!!)

– Memorização Fácil da Bíblia (Comece aqui!!!)

– Formação de Professores Para o Ministério Infantil (Comece aqui!!!)

-Curso Teclado para Igrejas ( Comece aqui!!!)

– Outros Materiais  Cristão para sua Preparação. (Comece aqui!!!)

Ferramentas Para o Estudo da Bíblia

Há vários recursos que podem ser úteis em nosso estudo da Bíblia. O mais importante é a própria Bíblia. Somos abençoados em nosso tempo por termos Bíblias em quase todas as línguas faladas. Há um bom número de traduções portuguesas. Escolha uma que seja inteligível, mas que mantenha cuidadoso respeito pela mensagem sendo traduzida. Ajuda-nos bastante ter várias traduções diferentes para comparar.

Muitos outros livros têm sido escritos para auxiliar no estudo da Bíblia. Uma Chave Bíblica, por exemplo, é muito útil para localizar várias passagens que usam a mesma palavra. Serve como um tipo de índice listando as palavras da Bíblia e onde são encontradas. Vários tipos de dicionários são também bem úteis no estudo da Bíblia.

Muitos mal-entendidos podem ser evitados ou corrigidos pela consulta a um dicionário comum. Dicionários especiais de palavras bíblicas são ainda mais valiosos, pois freqüentemente dão explicações úteis do modo como uma palavra é usada nas Escrituras. Ainda que eles sejam um pouco difíceis de se aprender a usar, os dicionários bíblicos baseados nas línguas bíblicas originais (hebraico e grego) nos ajudam a apreciar mais precisamente os significados de algumas palavras.

É claro que tais outros livros não são essenciais ao entendimento de nossa responsabilidade diante de Deus, mas podem esclarecer a mensagem da Bíblia e nos auxiliar a apreciar sua força e beleza.

Pode também ser útil estudar o ambiente do texto, usando tais auxílios como os Atlas ou os mapas das terras bíblicas, livros sobre história, etc. Tais livros servem para ressaltar o rico significado do texto.

Comentários aparecem em muitas formas. Podem ser bastante úteis, ou muito destrutivos. Comentários são simplesmente as explicações de autores humanos sobre o significado dos textos bíblicos.

Eles vão desde breves artigos ou mesmo notas de rodapé em Bíblias de estudo, até coleções de livros. Podem ser encontrados em boletins, revistas, sermões, etc. Ao usar todas estas fontes, precisamos nos lembrar que seres humanos nunca são infalíveis e que todo o ensinamento tem que ser examinado à luz das Escrituras (Atos 17:11; 1 Tessalonicenses 5:21-22).

Sugestões Sobre Como Estudar a Bíblia

Há algumas sugestões práticas que podem ajudar a desenvolver bons hábitos no estudo da Bíblia por toda a vida:

1. Leia, leia, leia! O passo mais importante no estudo efetivo é a leitura do texto. Isto deverá envolver pelo menos dois tipos de leitura: (a) Leitura geral do texto da Bíblia para tornar-se cada vez mais familiar com a mensagem da Bíblia como um todo (um plano bom e prático é ler a Bíblia inteira pelo menos uma vez por ano), e (b) Leitura mais cuidadosa de textos específicos que você estiver estudando.

2. Procure entender o contexto. Um dos erros mais comuns no estudo e ensino da Bíblia é tirar um versículo do seu contexto para interpretá-lo de um modo que vai contra o significado do texto e contra o amplo contexto da Bíblia como um todo. Se você estiver estudando um capítulo, olhe primeiro o livro onde foi encontrado. Se estiver estudando um versículo, leia pelo menos o capítulo que o envolve. Muitos erros serão evitados pela cuidadosa consideração do contexto em cada estudo. Ajuda no entendimento da Bíblia procurar respostas para questões simples, tais como: Quem está falando a quem? Por quê? Quando e onde tudo isto ocorreu?

3. Observe que tipo de texto você está estudando. É uma narrativa que relata uma parte da história da Bíblia? Está o autor desenvolvendo um argumento para explicar ou refutar alguma doutrina? É uma profecia? Contém o texto mandamentos específicos? É uma parábola? É parte do Novo Testamento (que se aplica nos dias de hoje) ou da velha lei (que governava os judeus do Velho Testamento)?

4. Entenda as palavras que você está estudando. Neste ponto, aquele dicionário da Bíblia ou outra tradução pode ser muito útil.

5. Procure auxílio em outras passagens. Muitos dos mais difíceis textos da Bíblia são esclarecidos por mais simples afirmações em relatos paralelos ou similares. A Bíblia é o seu próprio e melhor comentário! Desde que verdade nunca contradiz verdade, é nossa responsabilidade estudar diligentemente para reconciliar as discrepâncias aparentes.

6. Estude para conhecer a verdade, não para defender crenças pessoais ou tradições humanas.

7. Faça anotações. Muitas pessoas acham muito útil o uso de um caderno para anotar as observações sobre o texto, perguntas que elas querem saber, etc. Mais leituras e estudo muitas vezes responderão a dúvidas ou questões, por isso é bom ter anotações que você possa usar para aumentar o seu conhecimento.

8. Lembre-se de que a Bíblia nos dá o que necessitamos, mas nem tudo o que poderíamos querer. A infinita sabedoria de Deus está além da nossa compreensão, e há muitas coisas que poderemos querer saber que não estão reveladas na Bíblia (veja Deuteronômio 29:29). Temos que aprender a contentarmos-nos com o que Deus disse e não devemos nos permitir opinar e presumir para falar onde ele não falou.

O Valor do Estudo Bíblico

O estudo da Bíblia é um trabalho que desafia e dá satisfação, oferecendo muitos benefícios nesta vida, e que ajuda a equiparmos-nos para ficar na presença de Deus eternamente. Somos grandemente abençoados pelo privilégio de nos ser permitido ler e reler a carta de amor que Deus nos deu nas Escrituras. Que nossas vidas e hábitos de estudo reflitam a atitude expressada no Salmo 119:14-17:

“Mais me regozijo com o caminho dos teus testemunhos do que com todas as riquezas. Meditarei nos teus preceitos e às tuas veredas terei respeito. Terei prazer nos teus decretos; não me esquecerei da tua palavra. Sê generoso para com o teu servo, para que eu viva e observe a tua palavra.”

Autor: Dennis Allan

Fonte:

http://www.ebdonline.com.br/estudos/estudar.htm